terça-feira, 8 de novembro de 2011

Reinvenção

“Tudo o que reinventamos, torna-se mais especial para nós”.

Li ou ouvi essa frase em algum lugar e, agora, não consigo encontrar o autor ou autora, mas, de qualquer forma, hoje senti vontade, ou talvez, necessidade em discorrer sobre ela. Acho que essa vontade me veio, pois ontem eu passei a noite pensando em reinvenção. Não estou falando de algo original ou de uma nova criação. Estou falando em recriar, em reinventar algo que já existe, que já está ali, mas que precisa ser modificado a partir da minha disposição em perceber tal “coisa” com qualquer tipo de potencial para ser transformada em alguma beleza. E sabem por que eu fiquei pensando nisso? Porque estava lendo o capítulo 15 do livro de Gênesis e em algum momento, logo depois da promessa que ouviu de seu Deus, Abrão questiona algo parecido com isso: “Como eu saberei que isso vai dar certo?” E, naquele momento eu percebi que era exatamente essa pergunta que eu me fazia: “Como eu vou saber? E a resposta que me veio foi a melhor possível: Reinvente-se! Use o que você tem para atingir novas possibilidades. Abrão não tinha mais nada além de uma terra desconhecida e muita fé! Ele juntou o que tinha e se reinventou, tornando-se Abraão, e a partir dessa reinvenção se originou um povo, uma língua, uma nação, um credo.



Toda a história de Abraão e toda a história que é descrita no livro de Gênesis, a partir do segundo capítulo, remetem-nos a essa idéia de reinvenção, de reconstrução. E o que pode ser absorvido é que Deus espera que nós - seus filhos - sejamos co-participantes de sua criação e que estejamos envolvidos na construção do universo. Vislumbremos, então, todos os recursos naturais e espirituais que Ele nos deu para nos reinventar.